segunda-feira, 21 de novembro de 2011

SONHADOR

 
Sim, sou um sonhador!
Na memória tenho impresso
as fronteiras do Universo
das viagens que viajei,
dos sonhos que sonhei,
das experiências, das lidas,
no duro labor das vidas
nos mundos que habitei.

Já fui, como são muitos,
descrente por ignorância...
Vivi sem  dar importância
aos segredos, aos arcanos,
e por muitos e muitos anos
foi meu parceiro: o medo...
Mas hoje, acordo bem cedo
recordando sonho e planos!

O sonho, posso explicar,
é amancipação da alma
que na mais surdina calma,
durante o sono da  gente,
livra-se do corpo dormente
para visitar outros mundos
e após estágios profundos
retorna ao mesmo ambiente.

E é essa recordação
dos contatos realizados
em nossa mente gravados
o que chamamos de sonho,
seja bom, seja bisonho,
todos eles instrutivos
e que formam os arquivos
destes versos que componho!

Pensa o leigo que sonhar
é viver uma  fantasia,
uma ilusão, uma utopia,
ser um louco desvairado,
mas será um felizardo
no encontro da verdade,
seja hoje ou mais tarde
ou neste verso quebrado!

Sim, sou um sonhador!
Na memória tenho impresso
as fronteiras do Universo
da viagens que viajei,
dos sonhos que já sonhei,
das experiências,  das lidas,
no duro labor das vidas
dos mundos que habitei...

( IGdeOl: Amor, singelo amor!, pag. 45,  Graf. Verdes Mares, Itapema, 2002)


2 comentários:

  1. eu tbm sou sonhadora e como é bom sonhar!
    abraço

    ResponderExcluir
  2. Aqui, mais um sonhador!
    Parabéns, Ivo, pela qualidade do poema! Um grande abraço!

    ResponderExcluir